Vale da Lua: chapada dos veadeiros de outro mundo

Você já deve ter ouvido falar das histórias de ovnis e ETs que aparecem na Chapada dos Veadeiros né? E se eu te disser que além disso você pode ter uma experiência quase extraterrestre. Não precisa ficar com medo, a experiência que eu tô falando é visitar o Vale da Lua na Chapada dos Veadeiros, o lugar com as rochas mais malucas que a gente já conheceu até hoje e que são comparadas a superfície lunar.

Quer saber como conhecer esse lugar tão diferente e como foi nossa experiência? Vamos contar tudinho pra você nesse post.

Rochas do Vale da Lua

Como chegar ao Vale da Lua?

O Vale da Lua fica no estado de Goiás, na região da Chapada dos Veadeiros. Do vilarejo de São Jorge são 9 km e aproximadamente 35 km de Alto Paraíso de Goiás. Se você montar o seu QG em qualquer uma dessas cidades não vai ter que dirigir muito para visitar o Vale. Nessa distância já estão incluídos os 4 km de estrada de chão que você percorre até o estacionamento.

A entrada para a estrada de terra ficará a direita para quem estiver na GO 239 vindo de São Jorge e a esquerda para quem vem de Alto Paraíso de Goiás. O local não é muito bem sinalizado, portanto fique atento a entrada.

A estrada de terra estava em bom estado de conservação quando passamos por lá. Nesse caminho até a entrada do Vale da Lua vimos diversos bandos de araras voando. Fique esperto com a gritaria que elas fazem para olhar para o céu e ver esse espetáculo da natureza.

Você também pode gostar de ler:
– Roteiro Chapada dos Veadeiros – 7 dias de cachoeiras
– Catarata dos Couros, nossa melhor surpresa na Chapada dos Veadeiros
– Turismo em Brasília – o que fazer em um dia

Entrada e Trilha de Acesso

No Vale da Lua você não paga o estacionamento, mas a entrada por pessoa custa R$ 20,00 e antes de começar a trilha você terá que preencher um formulário com seus dados pessoais. As trilhas podem ser feitas a partir das 7h até às 17h. Como muitas das atrações da Chapada dos Veadeiros o Vale da Lua fica em uma propriedade privada.

O local não tem uma grande estrutura para os turistas, mas logo na entrada há banheiros e também uma pequena lanchonete com algumas bebidas e pastel frito na hora.  

Você não precisa de guia para fazer a trilha e também não será necessário muito esforço físico. Não há muitas subidas e descidas e em menos de um quilômetro você chega as formações rochosas exóticas dos Vale da Lua.

Vale da Lua Goiás

Como se formaram as rochas do Vale da Lua?

Logo que você começar a trilha vai perceber que existem algumas rochas no meio do caminho com uma aparência derretida. Quando estávamos caminhando por lá escutei um homem dizer que aquilo era rocha vulcânica, por isso aquele formato. Fiquei pensando naquilo e resolvi pesquisar, já que nunca tinha ouvido falar em vulcões no Brasil. 

A confusão acontece por causa dessas rochas mais escuras ao fundo

Resolvi pesquisar melhor e descobri um estudo chamado Conglomerado São Miguel no Vale da Lua, sul da Chapada dos Veadeiros, que pode ser consultado aqui. Nesse estudo os geólogos esclarecem que apesar de muita gente pensar em rochas vulcânicas o que existe no Vale da Lua são rochas sedimentares do período Proterozóico.

Se você não entendeu nada, eu também não tinha entendido. Traduzindo: as rochas foram formadas pelo acúmulo de diversos minerais a pelo menos 2,5 milhões de anos.

E como é que se formaram as crateras e túneis e “banheiras”? Isso tudo aconteceu devido a erosão fluvial, ou seja, a ação das águas do rio São Miguel foi desenhando formas espetaculares nas rochas que continham muito carbonato. Esses arenitos carbonáticos foram modificados pela ação do tempo e das águas do rio e depois recristalizaram, dando o aspecto de um falso cimento em muitas das rochas. 

Vale da Lua Chapada dos Veadeiros

É possível ver crateras como na superfície lunar em aproximadamente 400 metros de extensão. Foram formadas também quedas d’águas e piscinas naturais, porém muitas delas não são abertas para banho. Geralmente apenas duas piscinas são abertas aos turistas e nós escolhemos a última delas pra nos refrescar.

Curte fotos de viagem? Siga @viajantesporopcao no Instagram

Piscinas naturais do Vale da Lua

Vou te contar um segredo, todas os mergulhos que você der na Chapada dos Veadeiros serão seguidos de uma falta de ar momentânea. Isso vai acontecer em todos os locais que você for porque em todas as piscinas e cachoeiras que nós entramos a água é extremamente gelada. Agora que vocês já sabem desse fato posso contar que a água do Vale da Lua é a mais gelada de toda a Chapada dos Veadeiros.

Nós entramos na última piscina aberta a visitação. É um lugar pequeno, com uma prainha bem rasa e um paredão de rochas. A água é realmente de congelar os ossos. O dia estava bem bonito, ensolarado e quente e mesmo assim a gente não conseguiu ficar por muito tempo lá dentro.

Qualquer movimento parece que gelava ainda mais, então ficamos sentados sem se mexer por algum tempo até decidir que já tinha valido o mergulho e que a gente não precisava ficar sofrendo. Saímos da água e ficamos fazendo igual os vários lagartinhos que ficam correndo por ali: lagarteando no sol.

Piscina 3 do Vale da Lua Chapada dos Veadeiros

Segurança em primeiro lugar

O Vale da Lua é um lugar lindo e que aflora nosso instinto mais burro, aquele de querer tirar uma foto bonita negligenciando todos os perigos e sem levar em conta as condições do lugar. As rochas tem diversas deformidades, que apesar de serem a razão da fama do lugar são também perigosas.

Em muitos lugares há placas e cordas informando que não é permitido chegar perto dos caldeirões e mesmo assim vimos pessoas lá, bem na beirada. Tome muito cuidado onde pisa e fique atento para não tropeçar. Acidentes por imprudência estragam o seu passeio e de todo mundo que está no mesmo local.

Na época de seca (maio a outubro) é bem mais tranquilo visitar o Vale da Lua, pois o rio está com uma vazão menor de água e a chance de ocorrer uma tromba d’água é muito menor, mas a atenção deve ser redobrada na época das cheias. 

Leia também:
– Visita ao Palácio do Planalto e outros monumentos de Brasília
– Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros: trilhas para se conectar com a natureza

Por isso, você também deve tomar cuidado com os locais onde for tomar banho. Só entre nas piscinas onde é permitido, pois nesses locais existem salva-vidas. Não queira se meter em qualquer buraco sozinho pois nunca se sabe como a água corre debaixo das crateras. Na terceira piscina existe um local que muitos chamam de hidromassagem. É um caldeirão onde você pode entrar e ser “massageado” por um redemoinho de água.

Eu não tive coragem de entrar porque o lugar me pareceu meio claustrofóbico, mas se você não se importa com isso só entre se o Salva Vidas estiver por ali e autorizar. Turismo responsável e seguro não faz mal a ninguém.  

E aí, curtiu o Vale da Lua? Então ajuda a gente a divulgar essa maravilha da Chapada dos Veadeiros compartilhando com a galera ou salvando no Pinterest.

Um abraço e muitas viagens!!

Informações Práticas – Vale da Lua

Como chegar: a estrada não tem nome, mas a entrada fica na GO-239 a 5 km de São Jorge e 31 km de Alto Paraíso de Goiás. 
Coordenadas: 14°11’11.4″S 47°47’22.6″W
Horário: das 7h às 17h.
Entrada: R$ 20,00.
O que levar? Protetor Solar e sua disposição para entrar em uma água congelante.
Melhor lugar para pernoitar: o lugar mais próximo para passar a noite é São Jorge, mas você também pode ficar tranquilamente em Alto Paraíso de Goiás.


PLANEJE SUA VIAGEM com os nossos parceiros. Você ajuda o blog, não paga nada a mais por isso e ainda ganha alguns descontos. Bom né? É só clicar nos links abaixo pra fazer a sua reserva.
Reserve seu hotel com a Booking.com
Cadastre-se no Airbnb e ganhe R$ 130,00 de desconto na primeira hospedagem.
Alugue seu carro com a RentCars
Não viaje sem seguro, cote o melhor com a Seguros Promo – utilize o código POROPCAO5 e ganhe 5% de desconto.
Use seu celular no exterior com chip da Easysim4U – com o código RBBVGRATIS você tem frete grátis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *