Holanda | Harleem, moinho e cerveja

O bairro do Harlem em Nova York eu já conhecia (e aquele tal de Harlem Shake também), mas eu nem imaginava que o nome do bairro tinha sido inspirado por uma simpática cidade ao lado de Amsterdam.
Haarlem não estava no roteiro, mas depois de conhecer os pontos turísticos de Amsterdam resolvemos procurara alguma cidade onde fosse possível fazer um bate e volta. Achamos!
Em menos de vinte minutos chegamos a estação principal. Não sabíamos quase nada da cidade, apenas que ali havia um moinho, uma igreja legal e uma cervejaria diferente. Logo ao chegar avistamos uma torre no centro da cidade e fomos pra lá. Rumo certo, ali ficava a Grote Markt, a praça principal. Demos de cara com o centro de informações turísticas e descolamos um mapa e uma breve conversa com a simpática senhora que nos recebeu. Ela até arriscou algumas palavras em Português quando falamos que éramos brasileiros.

Grote Markt, uma pracinha simpática no centro de Harleem
Grote Markt, uma pracinha simpática no centro de Harleem

Com o mapa na mão seguimos para a Catedral de São Bavo. O lugar não é muito perto, mas é possível ir caminhando. Quando chegamos lá nos deparamos com ela em reforma. Nós sempre temos a “sorte” de visitar monumentos em reforma. Mas tudo bem, a parte da frente nem era tão bonita mesmo. Uma pena que estava fechada e não pudemos entrar para ver a nave, mas os fundos da catedral compensaram toda a caminhada.

Pra variar, a Catedral estava em obras. Mas não teve muito problema pois a parte dos fundos era beeeeeem mais bonita que a parte da frente.
Pra variar, a Catedral estava em obras. Mas não teve muito problema pois a parte dos fundos era beeeeeem mais bonita que a parte da frente.

Passamos pelo teatro municipal e seguimos rumo ao moinho. Esse cara deu trabalho, andávamos e andávamos e parecia que nunca íamos chegar. Acabamos passando antes pelos antigos portões da cidade e nos perdemos mais um pouco até finalmente encontrar o sobrevivente moinho. Não tem nada de muito espetacular mas é um símbolo holandês que não podia ser ignorado. Além do mais o canal onde fica o moinho é muito bonito e havia alguns barcos a vela ancorados, o que deu mais charme ainda a cidadezinha.

Olha o moinho aí gente!! Demorou, mas achamos.
Olha o moinho aí gente!! Demorou, mas achamos.
Vai dizer que esse cenário não é lindo?
Vai dizer que esse cenário não é lindo?

Começamos a voltar para o centro da cidade passando por vielas muito interessantes. Gostamos bastante de andar por lá pois as construções são bem diferentes e as lojas são muito conceituais e bonitas. Apesar de ter menos de 200 mil habitantes a cidade é bem desenvolvida. Antes de parar para almoçar ainda pudemos ouvir os sinos da Grote Kerk tocando. Não eram apenas as baladas normais de qualquer igreja, eles tocavam música, achei genial. Paramos no tradicionalíssimo restaurante holandês chamado Mc Donalds para almoçar. A gente faz dessas coisas as vezes com a desculpa de economizar, estamos tentando mudar isso porque é vergonhoso, eu sei.

A gente podia ter trocado o McDonalds por uns queijos daqui né? Hummmm!!!!!
A gente podia ter trocado o McDonalds por uns queijos daqui né? Hummmm!!!!!

Nossa última parada foi na cervejaria Jopenkerk. Se você prestou atenção ali atrás deve ter percebido que Kerk em holandês é igreja. Essa cervejaria fica dentro de uma antiga igreja. Para nós isso é muito, muito estranho, mas na Europa é uma coisa normal. As igrejas que já não servem mais para fins religiosos são usadas para outros fins sem nenhum constrangimento. Simples assim. O lugar é muito bonito mas fede cerveja. Se você quiser saber mais detalhes já falei da Jopenkerk nesse post aqui. Depois de tomar uma divina cervejinha voltamos para Amsterdam. Se tiver um dia livre vá conhecer Haarlem, é perto, rápido e pode te surpreender.

Uma cervejaria dentro de uma antiga igreja, essa é a Jopenkerk.
Uma cervejaria dentro de uma antiga igreja, essa é a Jopenkerk.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *