LA | Six flags – uma decepção

Você alguma vez já imaginou muito uma coisa e chegou lá não era nada daquilo que você pensava? Pois é, aconteceu isso comigo no parque Six Flags em Los Angeles.
Nós adoramos brinquedos radicais e o Six Flags pra mim era o parque mais louco que existe. Antes da viagem assisti o vídeo de todas as montanhas russas, pesquisei o mapa para traçar uma boa estratégia que nos fizesse ir no maior número de brinquedos em menos tempo, etc, etc, etc…

Se soubéssemos o que nos esperava nem tínhamos passado desse portão.
Se soubéssemos o que nos esperava nem tínhamos passado desse portão.

Sabe aquele meme da expectativa x realidade? Foi mais ou menos nesse nível a minha decepção. Chegamos no parque em um dia lindo de sol com uma pequena fila na entrada mas nada capaz de diminuir nossa empolgação. A primeira montanha russa que fizemos era tão sem graça que nem me lembro o nome. A segunda já era uma com um pouco mais de emoção, a Viper. A fila estava enorme, esperamos, esperamos e falando com um pessoal na nossa frente descobrimos que ia demorar de uma hora pra mais. Foi aí que a gente decidiu usar o single rider. Single rider é uma opção que os parques oferecem para pessoas que não se importam em ir no carrinho com um desconhecido. Você entra nessa fila separada para “tapar buracos”. Lá fomos nós pro lugar indicado pelas placas. Chegando no portão de acesso um dos funcionários do parque veio me perguntar porque a gente tava ali. Expliquei pra ele que a gente queria “tapar buracos” e ele me disse que não existia isso. Mostrei a placa que dizia Single Rider na fila que estávamos e ele continuou afirmando que eu estava errada. Aí já fiquei emburrada. Acabamos não tendo a vantagem de ir mais rápido e ainda perdemos nosso lugar na fila.

Viper, onde toda a confusão começou.
Viper, onde toda a confusão começou.

Resolvemos então olhar o preço dos Fast Pass e quase caímos pra trás. O único que achamos vantajoso custava mais de 100 dólares. Aí você paga 80 no ingresso e mais 100 pra “furar” fila. Sem chance! A essa hora minha empolgação já tinha ido pro espaço e eu tava xingando qualquer um (menos o Pernalonga e o Patolino que tiraram foto com a gente).

Foto com personagem é sempre legal!
Foto com personagem é sempre legal!

Como as filas estavam grandes e o Single Rider era furada fizemos nossa última tentativa de nos reconciliar com o parque. A Full Throttle, a mais assustadora, veloz e magnífica montanha russa que eu tinha visto. Essa era a top das tops da minha lista. Tinha que valer a pena. Talvez tivesse valido se a gente tivesse andado nela. Quando chegamos na fila nem enxergá-la a gente conseguia. Ficamos uns dez minutos ali até que consegui ver o relógio que marca o tempo de espera. 3h30!!!!!!! Já pensou esperar 3h30 debaixo de um sol de rachar pra ir em apenas 1 montanha russa???? Nessa hora eu, Diego e Marion nos olhamos e a resposta foi unânime. #partiu Santa Monica. Quer lugar melhor pra aproveitar o sol que uma praia?? Saímos de lá quase correndo, deixando pra trás a decepção pela falta de conhecimento dos funcionários do parque. Em Santa Monica nosso mau humor passou rapidinho, mas eu ainda penso na Full Throttle.

Acabamos por aqui, no pier de Santa Monica, curtindo um sol californiano
Acabamos por aqui, no pier de Santa Monica, curtindo um sol californiano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *