Foz do Iguaçu | Parque das Aves e Marco das três fronteiras

Chuva e a correria pra conseguir ver as Cataratas do lado brasileiro e do lado argentino fizeram com que o Parque das Aves e o Marco das Três Fronteiras ficassem de fora dos passeios da nossa última viagem a Foz do Iguaçu. Isso foi resolvido agora em janeiro quando fomos passar um calorão em Foz e dar umas voltinhas no Paraguai.

O Parque das Aves fica bem próximo das Cataratas e aconselho que você chegue cedo (no verão pelo menos) pois apesar da sombra das árvores o calor lá é demais. O parque abre das 08h30 às 17h e o valor dos ingressos pode ser consultado aquiAntes de chegar ao parque, nós não sabíamos nada sobre sua história, então faça a lição de casa e leia aqui pra chegar lá sabendo tudo. O parque é particular, seus fundadores foram Dennis e Anna Croukamp. Dennis era namibiano e Anna alemã e os dois se encontraram no Zimbábue e se casaram. Um dos amigos do casal os convidou para abrir um parque de crocodilos em Foz do Iguaçu (não tenho a mínima ideia do motivo da proposta, mas é isso que a história diz). O casal recusou, mas sugeriu que ao invés de crocodilos o parque tivesse aves. O interesse pelas aves começou depois de terem ganho um papagaio do congo. Com o projeto na cabeça e um livro “Como aprender português em meses” eles vieram ao Brasil. Depois de terem todas as licenças, compraram uma área de 16 hectares e começaram a construção de um sonho. Apenas 11 meses depois inauguravam o Parque das Aves, em 07 de outubro de 1994. Infelizmente o fundador Dennis faleceu apenas 2 anos depois do parque ter inaugurado, em julho de 1996. Sua esposa Anna, que é veterinária, permaneceu no comando do parque onde está até hoje.

O mais legal de tudo isso é que o local não é um simples viveiro para aves, ele é um centro de recuperação e reprodução animal. 50% das Aves foram resgatadas de maus tratos e do tráfico e outras 43% nasceram no parque. Além disso, nem todas as aves são mantidas no parque depois de tratadas, se elas estiverem em boas condições voltam pra natureza, o que é muito legal. Além de tudo isso a visita é especial, você fica cara a cara com os bichos, correndo um sério risco de levar bomba na cabeça. Ao total são 30 viveiros, e em 4 deles você tem a chance de ver as aves sem grades de proteção.Na minha opinião, o viveiro das araras é o mais interessante. Além de escandalosas elas tem vocação pra dar show. Deve haver no mínimo 50 aves dentro do viveiro, voando de um lado pro outro e pousando pra diversas fotos. E por falar em foto, você ainda pode tirar uma foto com uma arara no seu braço, é só procurar o ponto onde ficam as araras mansas (é só observar, onde tiver uma fila enorme é lá). Você ainda vai ver corujas, urubus, harpias, grous, mas como não sou especialista em aves deixo pra você o trabalho de ler as placas quando estiver por lá pra saber um pouco mais sobre as espécies. Parque recomendado!! Muito bom.

Tá olhando o que??
Tá olhando o que??
Ah, os tucanos. São lindos né?
Ah, os tucanos. São lindos né?
O pavão não quis se mostrar, tava meio discreto.
O pavão não quis se mostrar, tava meio discreto.
As araras são escandalosas e bagunceiras. Essas aí estavam de pernas pro ar.
As araras são escandalosas e bagunceiras. Essas aí estavam de pernas pro ar.
Linda, imponente e eu esqueci o nome. Alguém aí me ajuda? Será que era a Águia Real?
Linda, imponente e eu esqueci o nome. Alguém aí me ajuda? Será que era a Águia Real?
Olha o "Blue" tomando água da poça
Olha o “Blue” tomando água da poça
Depois que tentei fotografar um Beija Flor descobri que são muito mais rápidos do que eu esperava
Depois que tentei fotografar um Beija Flor descobri que são muito mais rápidos do que eu esperava

Saindo do Parque das Aves a gente já queria visitar o Marco das Três Fronteiras, mas no google aparecia que estava fechado e só abriria às 16h. Achamos meio estranho, mas melhor não contrariar o óraculo Google que sabe de tudo. Voltamos a tarde e claro que descobrimos que o Google estava certo. Na verdade o Marco das Três Fronteiras foi reaberto a pouco tempo, agora em 21 de dezembro de 2016. O local passou por uma reestruturação total e o que antes era apenas um obelisco com vista para os rios hoje se tornou atração turística, infelizmente paga. Se quiser consultar horários e valores pode entrar nesse site aqui. Não posso negar que o lugar ficou bonito, a vila cenográfica reproduz o período das missões Jesuíticas nos séculos 16 e 17. No Memorial Cabeza de Vaca você assistirá um breve relato sobre as expedições desse explorador espanhol que foi o primeiro homem branco a descobrir as Cataratas do Iguaçu, e o melhor, no ar-condicionado. Além disso, há o obelisco, que é marca das três fronteiras. Cada país tem o seu, pintado com as cores da bandeira. Sinceramente, às 16h debaixo de um sol escaldante não achei muita graça na visita, fiquei meio decepcionada. Na verdade acho que escolhemos a hora errada pra visitar. O legal do lugar é assistir o pôr-do-sol e depois ver o obelisco e a vila cenográfica iluminados. Também dá pra fazer um happy hour no restaurante Cabeza de Vaca. Então, se estiver pensando em conhecer o Marco das Três Fronteiras vai por mim, escolha o horário do pôr-do-sol e depois vem aqui contar pra gente o que achou.

Vila cenográfica no Marco das 3 fronteiras
Vila cenográfica no Marco das 3 fronteiras
O obelisco pintado de verde e amarelo simboliza a fronteira brasileira
O obelisco pintado de verde e amarelo simboliza a fronteira brasileira

16296026_1245581828830009_1348353696_n-2

A tríplice fronteira é definida pelos rios Iguaçu e Paraná.
A tríplice fronteira é definida pelos rios Iguaçu e Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *