Ski no Valle Nevado

Quando a moça da agência nos disse que eram 60 curvas até chegar ao Valle Nevado achei que era uma aproximação. Foi no embalo da van que descobrimos que era tudo verdade. As curvas são numeradas e pior: as pequenas eles não contam. Prepare-se para o zig-zag.Vista do Hotel Puerta del Sol

Nós fomos para fazer ski e snowboard, então tivemos que alugar os equipamentos. Fechamos o pacote transfer+roupas+equipamentos+ticket com a Ski Total por CLP 111.000 . Esse valor é para um dia apenas. O ideal é você fechar com um dia de antecedência pois o transfer sai ás 8h e tem muita gente pegando os equipamentos, quanto menos coisa você tiver que fazer de manhã melhor. Há várias lojas que alugam roupas e equipamentos em Santiago, principalmente próximas ao início da montanha. Como estávamos sem carro e próximos a Ski Total resolvemos fechar tudo por ali.

Curvas depois, chegamos ao Valle Nevado perto das 10h. Lá você vai ter que enfrentar uma filinha básica para pegar o ticket do dia. Mas se já estiver com o equipamento fique feliz. A fila do aluguel é beeeeeem maior. Na entrada você pode alugar um armário e utilizá-lo o dia todo, sem problemas. Gente, colocar as botas de ski não é nada fácil. Levantar e andar então, é ainda mais difícil. Mas isso era só o começo. Ainda tinha que carregar os skis (que pesam pra caramba) escada rolante e montanha acima.

Valle Nevado visto da entrada Teleférico do Valle Nevado

Eu e a Marion não nos arriscamos novamente no snowboard. Resolvemos fazer uma aula de ski pra ver qual era mais fácil. E não é que esse tal de ski é mais fácil mesmo?? Também não é moleza, mas conseguimos brincar um pouquinho. Mas pra quem não tem preparo físico e nem força nas pernas como eu é fácil se estabacar na descida, principalmente por não conseguir frear. O Diego foi de snowboard e conseguiu aproveitar bastante. Eu e a Ion fizemos a aula, descemos algumas vezes (a pista básica de iniciantes) e cansamos bem mais rápido que ele. Enquanto esperávamos ele cansar (o que não foi fácil) pegamos o transporte que vai até a área dos hotéis. Lá de cima você tem uma visão geral das pistas, mas não tem muito o que fazer caso você não esteja hospedado em algum hotel.

Descemos, esperamos mais um pouco até o Diego se render e não subir mais a montanha e esperamos a van para a volta. Mais 60 curvas até Santiago e algumas vans paradas no caminho com passageiros passando mal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *