Portugal | Viana do Castelo e Braga

Pensa em pegar o bonequinho do Google Earth e jogar ele aleatoriamente no mapa do lugar onde você quer ir. Foi exatamente o que fiz com Portugal e pra minha surpresa descobri um lugar incrivelmente bonito, o Santuário de Santa Luzia, em Viana do Castelo. Por sorte, Viana é bem perto de Braga, uma outra cidade que estava em nossa lista.

A não ser que você feche um pacote de viagens que inclua todos os passeios as coisas vão surgindo do nada e no final você junta tudo e monta seu roteiro. Viana do Castelo “tirei” do Google e Braga e Guimarães foram indicações de uma colega de trabalho. Pronto!! O primeiro dia do roteiro estava definido.

Já vou logo avisando que visitar as três cidades em apenas um dia não deu certo, Guimarães ficou de fora, erros de cálculo acontecem. Começamos com Viana do Castelo. Nosso QG era no Porto, então acordamos cedo e dirigimos (o Diego, no caso) em torno de 1 hora até lá. Já na chegada, o Santuário nos deu as boas vindas de cima do morro. Além da construção ser linda, lá de cima se tem uma linda vista da cidade e do mar. Foi um ótimo começo! Aconselho chegar cedo para poder desfrutar do lugar sem ônibus de turismo. Você pode subir até lá de carro, funicular (que sai da estação central) ou a pé, se tiver disposição. Atrás do Santuário existe uma pousada e também a Citânia de Santa Luzia, mas não achamos a entrada e resolvemos seguir para a parte baixa e visitar o navio Gil Eannes.

De cima do Santuário de Santa Luzia, o mar e a cidade.
De cima do Santuário de Santa Luzia, o mar e a cidade.

Santuário Santuário Pousada

Esse navio, construído em 1955, tinha como principal função dar apoio hospitalar aos navios de pesca de bacalhau porém foi utilizado também em rotas comerciais e esteve no Brasil em 1973 como embaixada flutuante de Portugal. Em 1977 foi vendido como sucata mas “resgatado” pela comunidade vianense e hoje está ancorado e aberto ao público como Museu. Eu, como nunca havia entrado em um navio antes, achei bem interessante. A cozinha, a sala de máquinas e o porão do navio, onde ficavam as salas de cirurgia e laboratórios, foram os lugares que achei mais interessantes.

Navio hospital que dava apoio aos navios bacalhoeiros
Navio hospital que dava apoio aos navios bacalhoeiros

img_9175 img_9192

Depois de visitar o navio andamos meio sem rumo por Viana do Castelo e encontramos muitas coisas bonitas. A Estação Central é simples, mas os dançarinos na frente parecem convidar os turistas para uma dança. Nossa grande surpresa nessa andança ficou por conta do interior da Santa Casa de Misericórdia. Foi o nosso primeiro contato com os azulejos portugueses pintados a mão. Quando entramos estava acontecendo uma missa, então não pudemos explorar direito a igreja, mas é lindíssima. Depois nos contentamos em passear pelas vielas apreciando as antigas casas de azulejos (principalmente na rua Manoel Espregueira) e a igreja de S. Domingos.

Rua Manoel Espregueira, Viana do Castelo
Rua Manoel Espregueira, Viana do Castelo

De Viana do Castelo partimos para outro Castelo, o da D. Chica, que fica nos arredores de Braga. O lugar hoje está abandonado. Foi construído para ser moradia da brasileira Francisca Peixoto Rego e seu marido, em 1995. Achei o castelo também por acaso, em pesquisas na internet, e fiquei curiosa para conhecê-lo. Infelizmente chegamos lá e os portões estavam trancados e os muros eram altos (sim, eu cheguei a pensar em pular o muro, mas invasão de domicílio no país alheio seria demais né?). Tivemos que nos contentar com a vista que se tinha pela grade e mesmo assim, de longe, achamos um desperdício ele estar abandonado.

Castelo da D. Chica em Braga. Hoje está abandonado.
Castelo da D. Chica em Braga. Hoje está abandonado.

Continuando nosso roteiro fomos para o centro de Braga, para a Sé. Essa é a catedral mais antiga de Portugal, sua construção começou em 1070. Visitar a igreja é de graça, mas se quiser ver também os tesouros o custo é de € 4,00 e para o coro, a visita é guiada e custa € 2,00. Não sei porque não visitamos o coro, e escrevendo esse post me arrependo de não tê-lo feito, de baixo parecia ser incrível. A parte dos tesouros é um museu de arte sacra e quisemos visitar pois ali está a cruz de ferro que rezou a 1ª missa no Brasil. Essa cruz, por sinal, é bem decepcionante. Tinha na cabeça a imagem da cruz retratada no quadro de Victor Meirelles, mas a cruz verdadeira é menor que a minha mão. =( Decepções a parte, a igreja com certeza vale muito a pena visitar. Os órgãos, dispostos um de frente para o outro, são muito detalhados e lindos. Você pode ficar horas observando e tenho certeza que não vai conseguir ver tudo que está retratado ali. É extremamente rebuscado e maravilhoso, não dá pra explicar direito, e as fotos não fazem jus ao que se vê ao vivo. Na saída preste atenção na gigante porta de madeira, segundo o funcionário da Sé a madeira veio do Brasil. Saindo dali, demos algumas voltas por Braga passando pelo Jardim de Santa Bárbara e pela Praça da Liberdade, mas como o tempo não estava dos melhores, resolvemos ir logo para Bom Jesus do Monte.

Catedral mais antiga de Portugal, a Sé de Braga.
Catedral mais antiga de Portugal, a Sé de Braga.
Diz aí se isso não é lindo?
Diz aí se isso não é lindo?

img_9294

Praça da República
Praça da República

A igreja de Bom Jesus do Monte é famosa por sua escadaria barroca do século 18. Pra nossa “sorte”, bem no momento que chegamos aos pés da escadaria começou a chover, e forte. Voltamos para o carro na esperança de que passasse, mas S. Pedro não estava querendo nos ajudar. Entre ter que voltar no dia seguinte (e correr o risco de pegar chuva de novo) ou encarar a água naquele dia mesmo, resolvemos encarar. Munidos de Capa e Guarda-Chuvas começamos a subir os muitos degraus. A intenção era contar, mas nos perdemos no meio do caminho e desistimos. Os primeiros lances de escada constituem a Escadaria dos Cinco Sentidos e tem estátuas com água escorrendo da boca, dos olhos, do nariz e dos ouvidos. Pelas minhas contas faltou um sentido, mas tudo bem. Já na parte mais alta, fica a Escadaria das Três Virtudes, fé, esperança e caridade. Bem no alto fica a igreja e para variar chegamos na hora da missa. Como a gente já tava molhado mesmo, ficamos fazendo hora na chuva até acabar e missa para conhecer o interior da igreja e depois começamos a descida para ir embora. Foi bem mais fácil que subir, isso eu garanto. Se preferir você pode usar o funicular, custa € 1,20 só ida ou € 2,00 ida e volta.

Escadaria de Bom Jesus do Monte. Haja perna!
Escadaria de Bom Jesus do Monte. Haja perna!

Como chegar:

VIANA DO CASTELO

Santuário de Santa Luzia – Rua Santa Luzia – Coordenadas (41.70198, -8.83521) 

Navio Gil Eannes – Doca Comercial – Coordenadas (41.69009, -8.83025)

BRAGA

Castelo da D. Chica – Castelo da Dona Chica – Coordenadas (41.58879, -8.42827)

Sé de Braga – R. Dom Paio Mendes – Coordenadas (41.54998, -8.4269)

BOM JESUS DO MONTE

Estrada do Bom Jesus – Coordenadas (41.55462, -8.37813)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *