Portugal | Pastel de Belém ou de Nata? Um ranking dos pastéis

Não é de Belém, é de Nata. Aprenda isso antes de ir pra Portugal, para o seu bem. Aqui no Brasil é comum a gente chamar o Pastel de Nata de Pastel de Belém mas isso para os portugueses não faz sentido algum. É como se a gente pedisse um Big Mac no Burger King. Entenderam o drama? Então pra não escutar uma resposta não muito educada dos portugueses contenha sua vontade de pedir um Pastel de Belém e contente-se com os Pastéis de Nata.

A gente não era especialista (e continua não sendo) no doce aqui no Brasil, que eu me lembre tinha comido apenas uma vez aqui, mas chegando lá colocamos nosso paladar a prova e fizemos questão de experimentar os pastéis em todas as cidades pelas quais passamos e aqui vai a lista dos melhores e piores. Mesmo que o seu paladar não seja igual ao nosso e a ordem da sua lista não seja a mesma tenho certeza que não vai se arrepender de ter provado.

1º lugar – Confeitaria Nacional – Lisboa – Clássicos são clássicos né? O Pastel de Nata da Confeitaria Nacional estava fresquinho e crocante. Devem ser os 187 anos de experiência da Confeitaria que foi fundada em 1829. Aparece na frente do Pastel de Belém por ter um gosto um pouco mais marcante.

O campeão, Confeitaria Nacional. Fresquinho e gostoso, mesmo parecendo queimado.
O campeão, Confeitaria Nacional. Fresquinho e gostoso, mesmo parecendo queimado.

1º lugar – Pastéis de Belém – Lisboa – Não há como negar, o verdadeiro Pastel de Belém, vendido desde 1837, é realmente delicioso. Acho que isso se deve a frescura do doce já que o giro é muito, muito alto. Em uma entrevista que vi no programa Lugar Incomum uma funcionária da Pastelaria disse que eles chegam a vender 30 mil unidades aos fins de semana, em cada um dos dias. A fila na entrada, pra quem compra pra levar, é grande. Lá dentro você sempre acha uma mesinha pra sentar e ainda pode observar a produção pelos janelões da cozinha.

O tradicional e famoso Pastel de Belém
O tradicional e famoso Pastel de Belém

2º lugar – Zé Natário – Viana do Castelo – Foi o primeiro que a gente comeu em terras portuguesas, então achamos uma delícia. Ficou marcado na memória mas não nos serviram canela e açúcar, que depois descobrimos que dá um toque especial

3º lugar – Manteigaria – Lisboa – Um lugar bem mais moderninho mas que sabe fazer muito bem o doce tradicional português. Além de ser fresquinho as embalagens pra levar são estilosas.

O da Manteigaria é bom, mas também podia vir com um sache de açúcar e outro de canela como em Belém.
O da Manteigaria é bom, mas também podia vir com um sache de açúcar e outro de canela como em Belém.

 

Temos 4 empatados em quarto lugar, pois não eram nem muito bons nem ruins, estavam no mesmo patamar, são eles:

4º lugar – Pastelaria Suíça – Tradicional pastelaria de Lisboa que fica entra as praças do Rossio e da Figueira. Doce bom, mas sem nenhum atributo especial.

Sem açúcar e canela não é a mesma coisa. Esse é da pastelaria Suíça
Sem açúcar e canela não é a mesma coisa. Esse é da pastelaria Suíça

4º lugar – Pastelaria da Sé – Lamego – Deve ter muita coisa boa por aqui pois o lugar estava completamente cheio de gente. O pastel de Nata não tinha nada de diferente, então ficou empatado em quarto lugar.

4º lugar – A Muralha – Évora – Um lugar simples mas pelo jeito tradicional. Vimos muitos idosos tomando café e almoçando por ali. O pastel era bom mas outros eram melhores.

4º lugar – Nata Lisboa – Porto – O nome do lugar é Lisboa mas provamos no Porto, nada faz muito sentido nessa vida. O lugar é super legal mas o pastel de nata continuou empatado em quarto lugar.

5º lugar – Oceano – Nazaré, praça Sousa Oliveira – Esse foi o pastel de nata mais difícil de encontrar. Depois de jantar em Nazaré saímos em busca da sobremesa e em todos os lugares que a gente parava tinha acabado. Andamos algumas quadras até chegar a uma praça e encontrar um pastel a venda. Acho que ainda tinha sobrado pastel ali porque não era lá grandes coisa mas serviu pra matar a vontade de doce naquela hora.

6º lugar – Pingo Doce – Porto – cortesia do nosso host do airbnb. Por ser um doce feito no mercado estava até que gostoso. Acho que se tivesse fresquinho teria subido algumas posições no ranking.

Por ser de mercado e não estar fresco quebrou o galho quando a vontade de um doce era grande
Por ser de mercado e não estar fresco quebrou o galho quando a vontade de um doce era grande

7º lugar – Palmeira – Coimbra – Talvez essa seja a análise mais injusta de todas. Quando chegamos em Coimbra minha garganta estava doendo tanto que eu não sentia muito o gosto dos alimentos. Deve ser por isso que o pastel de nata da Palmeiro ficou em penúltimo lugar.

8º lugar – Supremo Gosto – Guimarães – Chegamos ao último lugar. Não era horrível, mas os outro eram melhores. Pro nosso gosto tinha um sabor muito forte de gema de ovo e o recheio estava muito mole. Nem por isso deixamos de comer o doce inteiro, não se pode desperdiçar uma iguaria dessas.

Essa foi nossa pequena lista de experimentos com o Pastel de Nata. Claro que a lista não é absoluta pois cada pessoa tem um gosto diferente mas serve pra você ter uma ideia de onde buscar os melhores.

Aqui em baixo fica o mapa com todos os locais citados na lista. Agora é só fazer uma “caça ao tesouro” e depois vir aqui nos contar o que achou.

Ah!! Se tem algum outro lugar incrível para indicar deixa aí nos comentários que vamos adorar saber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *