Paris | Em busca da panela vermelha

Sim, eu trouxe uma panela de Paris. Estranho né? Eu também acho, mas tem coisas que a gente coloca na cabeça e não tem cristo que faça tirar. Mas não foi uma panela qualquer. Foi uma Le Creuset. E vermelha ainda por cima.
Pra quem não conhece, a marca Le Creuset é top no mundo da culinária. Quem não é muito top na culinária sou eu, mas isso é apenas um detalhe. A vontade de comprar uma Le Creuset começou com a viagem se aproximando. Eu pensei, porque não? Em Paris vai ser muito mais barata que aqui e é tão linda. Além disso com toda a fama que ela tem é possível que minhas gororobas fiquem mais saborosas. Sendo assim, comecei a procurar lojas que vendessem a dita cuja e descobri uma chamada La Bovida. Endereço anotado e bora pra Paris.
Durante a viagem essa compra não foi uma prioridade, mas como nos últimos dias percebemos que o modo “economia de euros” tinha funcionado, achamos que a extravagância valia a pena e resolvemos ir até a tal loja. Afinal comprar uma Le Creuset em Paris seria uma oportunidade única. Pelo menos pra nós.
A loja La Bovida fica perto do Forum Les Halles, um shopping que não chegamos a conhecer. Na rua onde ela se localiza tem várias outras lojas interessantes como a Mokuba (especializada em fitas), lojas de temperos e uma lanchonete que vendia pastel de carne igual ao nosso.

Foto retirada do Google Street View
Foto retirada do Google Street View

A La Bovida, é de deixar qualquer chef bobo. Eu não sou nem ajudante de cozinha direito, quanto mais chef, mas fiquei encantada com a loja. Tem utensílios pra todo tipo de coisa e louças muito bonitas. O Diego queria trazer um conjunto de facas, mas achamos que teríamos problemas no aeroporto. Mas minha intenção ali era a Le Creuset vermelha e eu encontreiiii! Encontrei várias panelinhas menores e lindas também, mas pisei no freio e comprei só a grande. Não foi barata, mas também não foi tão cara quanto no Brasil.
Agora pensa na gente carregando aquele trambolho por Paris. Ela é de ferro e pesa perto de 10 quilos. Passeamos por uma igreja (Saint Eustache), fomos até a Ladurée do Louvre, andamos de metrô, tudo isso com a “bicha” na mochila.Le Creuset comprada na La Bovida

E pra trazer ela pro Brasil? Nossas malas não tinham mais espaço e nem peso sobrando. A solução foi trazer na mala de mão do Diego. Ficamos preocupados com o raio-x do aeroporto, mas apesar de dar pra ver direitinho que era uma panela nenhum agente de aeroporto nos questionou o motivo daquilo. Menos mal!
Nossa Le Creuset chegou intacta ao Brasil. E eu que achei que ia me empolgar com a nova aquisição estava enganada. Posso contar nos dedos quantas vezes a usei. Quem sabe um dia eu até venda pra alguém que faça melhor uso dela. Alguém se habilita em dar um lance??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *