Paris | Château de Versailles – a casa de Maria Antonieta

Quando entrei no Castelo de Versailles não pude deixar de pensar em quem foi que construiu aquela belezura. Imagina se hoje em dia algum ser tem a paciência, vontade e principalmente habilidade pra construir um edifício tão lindo, gigante e cheio de detalhes. Esquece, nunca mais teremos obras assim. Mas felizmente existem muitas por esse mundo pra gente poder visitar e o Château de Versailles é uma delas.
Pra chegar até lá a partir de Paris é muito fácil. Nós pegamos o trem RER C sentido Versailles Rive-Gauche na estação Champs de Mars – Tour Eiffel (próxima a torre Eiffel) e levamos uns 30 minutos até Versailles. Saindo da estação é só virar a direita e seguir reto que encontrará o castelo.

Versailles entrada
O portão já estava brilhando nesse dia feio, imagina com sol.

Logo na entrada você vai se deparar com a capela do castelo. Não é possível entrar lá, apenas bisbilhotar de fora, mas já é o suficiente pra ter noção da beleza. Um altar dourado com um órgão acima, sob um teto cuidadosamente pintado. Seguindo pelo térreo você vai conhecer um pouco da história do castelo e pode ver na maquete como ele é enorme. Mas o principal está no andar superior. Lá ficam os grandes apartamentos, onde ficavam reis e rainhas. Muito da decoração que se vê hoje foi encomendada por Maria Antonieta que era esposa de Luís XVI. Ela era austríaca, foi odiada pelos franceses e acabou guilhotinada em 1793 (durante a revolução francesa). Conhece aquela frase “Se o povo não tem pão, que coma brioches”? Sim, foi ela quem disse isso. Mas momentos históricos a parte, seu trabalho como decoradora do castelo foi muito bem feito. É impossível descrever em detalhes cada um dos cômodos. Eles são decorados do chão ao teto e você fica meio sem saber pra onde olhar. Cada sala mais bonita que a outra. As fotos colocadas aqui não traduzem a realidade pois fica difícil enquadrar a sala toda, ou seja, vá e veja ao vivo que é bem melhor. A galeria dos espelhos que liga os quartos do rei e da rainha é surreal.

Muitos detalhes na capela da entrada
Muitos detalhes na capela da entrada
Quarto da rainha. Super básico né?
Quarto da rainha. Super básico né?
Fiquei apaixonada pela Galeria dos Espelhos. Já pensou nos mega bailes que aconteciam aqui?
Fiquei apaixonada pela Galeria dos Espelhos. Já pensou nos mega bailes que aconteciam aqui?

Quarto 2

Que tal planejar sua próxima viagem em um mapa mundi deste?
Que tal planejar sua próxima viagem em um mapa mundi deste?

Saindo do palácio principal você chega ao enorme jardim e é atravessando ele que chegará ao Grand e ao Petit Trianon, palácios menores mas igualmente bonitos e ficam disponíveis para visitação após às 11h então você poderá apreciar os outros locais com calma antes de chegar aqui. Essa parte de Versailles é chamada de Domínios de Maria Antonieta depois que o rei Luís XVI ofereceu o lugar de presente a esposa. Além dos 2 palácios menores há uma série de jardins e até uma fazenda. Não demos sorte e no dia que fomos começou a chover. Não pudemos apreciar muito a parte de fora que dizem ser muito bonita.

O gigantesco jardim
O gigantesco jardim
Maria Antonieta, responsável por boa parte da decoração e do ódio dos franceses
Maria Antonieta, responsável por boa parte da decoração e do ódio dos franceses
Quarto simples no Grand Trianon. Dá uma olhada nesse lustre!
Quarto simples no Grand Trianon. Dá uma olhada nesse lustre!
Um dos vários jardins dos Domínios de Maria Antonieta
Um dos vários jardins dos Domínios de Maria Antonieta

Ah! Além da chuva que estragou o passeio, encontramos no Palácio de Versailles o único francês mal educado da França. Era um funcionário que alugava carrinhos elétricos. Fui perguntar qual era o valor e como funcionava e ele com muita má vontade me mandou ler a placa que estava mais a frente. Custava me responder? Fiquei brava e voltamos caminhando na chuva mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *