Paraná | Lapa, história e coxinha de farofa

A cidade histórica da Lapa fica tão perto da nossa casa que nós sempre postergávamos a visita turística. A gente ia visitar parente, comer coxinha de farofa e até fazer tatuagem por lá mas nunca entrou nos museus ou no teatro São João.

Bom, essa história mudou no último 7 de Setembro quando tomamos vergonha na cara e resolvemos passar o dia todo por lá. Começamos com um café da manhã na tradicional padaria Zeni. Se você nunca ouviu falar anote bem esse nome. Além da melhor coxinha de farofa da região ela tem uma variedade de outras delícias. Ah!! E coxinha de farofa pode ser algo novo pra você também. Esse é um prato típico lapeano. Uma massa de pastel recheada com farofa de frango em formato de coxinha. A receipt surgiu em uma festa de São Benedito quando acabou o recheio de pastel e o frango, sobrando apenas massa e farofa. A junção dos ingredientes deu certo e faz sucesso até hoje.

A deliciosa Padaria Zeni.
A deliciosa Padaria Zeni.
Prazer, Coxinha de Farofa.
Prazer, Coxinha de Farofa.

Depois do café reforçado assistimos o desfile cívico em comemoração a Independência do Brasil. Estávamos esperando o desfile militar mas acabamos assistindo dezenas de escolas municipais que não tínhamos ideia que existiam. No fim, a parte que nos interessava foi curta e rápida. Acontece!

Ficamos 2 horas no frio e no sol e o desfile militar durou nem 5 minutos.
Ficamos 2 horas no frio e no sol e o desfile militar durou nem 5 minutos.

Dali seguimos para nosso primeiro passeio propriamente turístico, o Parque Estadual do Monge, onde viveu o monge João Maria D’Agostinis. Estudioso das plantas medicinais, medicava enfermos, fazia orações e profecias e até hoje alguns devotos buscam o parque pelo poder de cura que acreditam existir ali. Visitei o parque algumas vezes quando criança e na minha lembrança era algo enorme e místico. Agora ficou longe disso. É um lugar bonito, mas não tem mais toda aquela aura de mistério. Logo na entrada do parque fica o mirante do Cristo e se quiser ter uma visão melhor da Lapa pode seguir por um carreiro logo a frente da imagem. As principais atrações porém, são uma fonte de água pura (talvez não tão pura nos dias de hoje) e a pedra partida, uma gruta onde é possível ver claramente a fenda na rocha que foi esculpida durante milhares de anos. Isso tudo é acessado por algumas escadarias de  pedra e caminhos rochosos, nada muito difícil, mas bem complicado par quem tem dificuldades de locomoção. Saindo do parque ainda fomos presenteados com a presença de dois tucanos que apareceram para nos dar tchau.

Algumas demonstrações de fé e a fenda nas pedras no Parque do Monge
Algumas demonstrações de fé e a fenda nas pedras no Parque do Monge

Toda essa caminhada deu fome então resolvemos almoçar no restaurante mais tradicional da cidade, o Lipski. Não sei como conseguimos continuar o passeio depois de tanta comida tropeira. Virado de feijão, torresmo, quirera, galeto, arroz carreteiro e outras coisinhas mais. A comida é pesada mas é gostosa.

Problema da fome resolvido começamos a segunda parte do passeio, as construções históricas. Nossa primeira parada seria a igreja Matriz de Santo Antonio construída entre 1769 e 1784. Não conseguimos entrar na igreja pois nos dois momentos que passamos por ali acontecia uma missa, mas de fora conseguimos ver que o interior é todo de madeira trabalhada, se possível entre.

Igreja de Santo Antonio.
Igreja de Santo Antonio.

Fomos então para o Theatro São João possivelmente inaugurado em 1876. É uma construção de arquitetura neoclássica que recebeu a visita de D. Pedro I em 1880 e serviu de hospital e enfermaria durante o Cerco da Lapa em 1894. A entrada no teatro custa R$ 3,00 (set/2016) e o bilhete serve também para o Museu Histórico e Museu da Armas. Se possível espere até que um dos funcionários do teatro faça uma breve apresentação de sua história ao longo do tempo. Um fato interessante é que o teatro foi construído para que a plateia ficasse em pé, mas os senhores da época faziam com que seus escravos carregassem cadeiras até lá para que eles pudessem assistir aos espetáculos sentados. Não deixe de ver a pequena biblioteca no andar superior com diversos livros antigos.

Theatro São João
Theatro São João
Impossível conseguir uma foto sem "platéia" no teatro
Impossível conseguir uma foto sem “platéia” no teatro

Ao lado do teatro fica o Museu Histórico onde você poderá aprender um pouco sobre o Cerco da Lapa, episódio da Revolução Federalista. Logo na entrada está a marquesa onde General Carneiro morreu no dia 09 de fevereiro dee 1894. Há diversos objetos usados pelos republicanos, chamados de Pica-Paus, durante o cerco e também outros objetos que fazem parte da história da cidade, como um vestido de noiva de 1774. A casa foi utilizada por um médico durante o Cerco da Lapa e havia uma passagem secreta entre o museu e o Theatro São João para que ele pudesse cuidar dos feridos.

Peças da Revolução Federalista no Museu Histórico
Peças da Revolução Federalista no Museu Histórico

O lugar que mais gostei de conhecer foi a Casa Lacerda. Esse é um museu federal portanto sua entrada é cobrada separadamente, mas custa apenas R$ 2,00 (set/2016). Essa casa foi onde morou o coronel Joaquim Lacerda, braço direito do General Carneiro. Ele teve apenas um filho, José Lacerda, e quinze netos. Essa não é uma informação muito relevante para a história da Revolução, mas fiquei imaginando onde dormia toda essa galera. A casa serviu de quartel para os Pica-Paus durante o Cerco e tem grande valor histórico pois foi onde morreu Coronel Dulcídio e foi assinado o termo de rendição. O museu preserva sua decoração original e o que mais me chamou a atenção foram a arquitetura e a riqueza de detalhes. Se não curtir o museu tenho certeza que vai gostar de ficar deslizando por lá com as pantufas obrigatórias. Na frente da Casa Lacerda fica o Pantheon dos Heróis com restos mortais e homenagens a vários combatentes da Revolução Federalista.

Vista da Casa Lacerda a partir do Panteon dos Heróis
Vista da Casa Lacerda a partir do Panteon dos Heróis
Um dos quartos da Casa Lacerda.
Um dos quartos da Casa Lacerda.
Panteon dos Heróis
Panteon dos Heróis
Busto do General Gomes Carneiro com o detalhe do brasão no teto
Busto do General Gomes Carneiro com o detalhe do brasão no teto

Fechando o parte histórica do dia, fomos até o Museu das Armas. O lugar já serviu de presídio e hoje abriga a Câmara de Vereadores na parte superior e o museu no térreo. Além de várias armas utilizadas no Cerco da Lapa o museu tem uma quantidade grande de armas das Guerras Mundiais que pertenciam a um acervo pessoal e foram doadas ao museu. Preste atenção na espessura das paredes e nas portas das antigas celas, é incrível.

Museu das Armas

Um pouco das várias armas doadas pelo Sr. Osiris para o museu.
Um pouco das várias armas doadas pelo Sr. Osiris para o museu.

Pra fechar com chave de ouro tivemos que passar novamente na Zeni, porque ninguém é de ferro. Dessa vez foi pra atacar os doces que não perdem por muito da famosa coxinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *