Dicas práticas para um safari self-drive no Kruger National Park

Quem acompanha o blog pode ter visto que nosso primeiro contato com a África foi na Namíbia. Lá nós fizemos um safari no parque Etosha e gostamos tanto que ficamos com vontade de voltar, o quanto antes. Quando surgiu a promoção de passagens para a África do Sul a gente nem pensou muito e logo comprou. Era nossa chance de fazer novamente um safari. Dessa vez seria no Kruger National Park, um dos mais espetaculares parques da África.

Dois elefantes começando a atravessar a estrada na frente do nosso carro. Passarinhos no chão em volta e mais um carro a frente.
Os primeiros elefantes você nunca esquece. Se eles atravessarem a frente do seu carro então, a emoção é maior ainda.

Reserve com antecedência

Se você pensa em visitar o Kruger aconselho reservar sua hospedagem com antecedência. Os melhores camps costumam esgotar rapidamente. Bom, a gente não tem grana pra sair esbanjando por aí, então a gente acampou mesmo, de novo. Mais uma vez alugamos um carro com barraca de teto na Britz (você pode ver nesse post aqui). Para os que não são muito frescos a experiência é inesquecível. Apesar da segurança dos camps sempre rola aquela adrenalina de estar dormindo no meio da savana. Você fica separado dos grandes animais apenas por uma tela.

Nós reservamos noites. É suficiente? Pra nós não foi. Gostaríamos de ter ficado mais, mas pode ser que ficar horas dentro do carro não seja a sua praia. Aí você talvez fique entediado logo no primeiro dia. Essa questão é muito relativa.

Portão do camp Pretoriuskop e simples cerca de arame farpado.
Tá vendo essas cercas de arame aí? São apenas elas que te separam de todos os animais da savana.
Barraca de teto armada e arrumada com travesseiros e saco de dormir
Pra quem quer saber como é uma barraca de teto. Tcharammmm!!! Tá aí, é super confortável.

Em quais camps nós ficamos?

Nós passamos cada noite em um camp, há vários (mais de 20) espalhados pelo parque. Começamos pelo Crocodile Bridge, fomos para o Berg-en-Dal, dormimos a terceira noite no Pretoriuskop e a última no Skukuza.

O Crocodile Bridge foi o mais simples de todos. Não tinha recepção nem lugar para comprar comida. Fique esperto e sempre tenha algo pra comer. Os outros eram um pouco mais estruturados, com um pequeno mercado se você precisar de alguma coisa e uma cozinha coletiva.

Cozinha coletiva aberta com fogão e pia.
Tem cozinha nos camp. Aproveite para economizar cozinhando sua própria comida.

Como chegar ao parque saindo de Joanesburgo?

Se você escolheu alugar um carro em Joburg para ir até o Kruger, saiba que serão algumas horas na estrada. Nós saímos cedo, às 06h35 da manhã, e tivemos o prazer de ver o sol nascer já na estrada. O sol da África é uma das coisas mais lindas que a gente já viu, acredite. A maior parte da estrada está em boas condições e tem várias pistas. Alguns trechos porém, são em pista simples. Para nosso azar ainda pegamos vários trechos em obras.

O Kruger é gigante e tem vários portões. Isso vai influenciar na sua rota e tempo na estrada. Nós entramos pelo portão de acesso ao Crocodile Bridge Rest Camp. Ele fica tão próximo a Moçambique que nos deu até um suador olhar as placas da fronteira e não encontrar as placas indicando o portão. Mas foi só um medo de principiantes, logo achamos a estrada de acesso e deu tudo certo. No total, foram aproximadamente seis horas e meia de viagem.

Foto de dentro do carro que mostra uma estrada asfaltada e pista simples.
As estradas até Kruger são basicamente assim, asfaltadas e boas.

Fazendo o check in

Na entrada do parque você deverá mostrar a sua reserva para o camp. Quem vai pernoitar no parque recebe um cartão de chegada na cor laranja. É bom andar com esse cartão no carro, é possível que eles te peçam em algum momento. Aconselho fortemente que você aproveite e compre um mapa na entrada do parque. O Kruger é enorme, tem diversas estradas e é fácil, fácil se perder. Todos os caminhos parecem levar ao mesmo lugar. Já na recepção de cada Camp Site você receberá um mapa específico do local e poderá escolher onde armar a barraca. Se chegar cedo garante um bom lugar.

Papel laranja que você recebe na entrada do parque.
Você recebe esse papel na entrada do parque. Você vai precisar dele no último camp.
Papel verde com os dados do último camp da sua estadia no kruger
Não perca esse papel. Você vai precisar dele pra sair do parque.

Self Drive e Game Drive

Como as dicas desse post são para viajantes independentes, provavelmente você estará de carro. Fazer safari no estilo Self Drive é muito bom pois você faz suas próprias escolhas. A que horas sair, pra onde ir, ou se fica mais um pouco parado admirando aquele elefante que, do nada, surgiu de trás das árvores. Mas, se você quer experimentar os safaris que o parque oferece, chamados Game Drives, a reserva deve ser feita na recepção dos camps. Só pode reservar quem está hospedado por lá, pois as saídas acontecem em horários em que o portão principal está fechado. Geralmente são oferecidos três Game Drives, um de manhã, um ao entardecer e outro a noite. Nós fizemos o noturno e gostamos bastante. É uma experiência diferente pois você encontra animais que geralmente não são vistos durante o dia. Os preços variam em cada camp, mas não são absurdos.

Caminhão com bancos e aberto dos lados para realizar os game drives.
Os game drives acontecem nesses caminhões. Eles são abertos. Rola um medinho!

As estradas do parque

Não pire com isso. As estradas principais do Kruger são muito boas e algumas são asfaltadas. As estradas secundárias também são bem conservadas. Você só terá que ficar atento aos loops, que são pequenos caminhos que saem das estradas melhores e retornam alguns metros depois. Nós vimos um carro ter problemas nesse tipo de caminho, mas essa história é boa e merece um post a parte.

Estrada boa de terra com três girafas atravessando e duas dentro dos arbustos.
As estradas do Kruger são basicamente assim, de terra mas boas. Foca fácil fazer um safari self-drive. Só cuidado com os pedestres.

O que levar e o que não levar

Se você vai no modo aventura terá que levar todo seu equipamento de camp, além dessa pequena listinha de coisas que vou mencionar aqui.

  • Lanterna – os camps são bem escuros a noite
  • Comida – há restaurantes (bem caros) e mini mercados na maioria dos camps mas, como seguro morreu de velho, é melhor garantir pelo menos uma bolachinha (ou biscoito, pra quem preferir). Você vai passar horas no carro e isso dá fome. Se for cozinhar saiba que carne e ovos podem entrar mas não podem sair do parque. Você terá que consumir tudo lá antes de ir embora. Bebidas alcoólicas são permitidas apenas para quem vai pernoitar, e apenas dentro do camp.

    Mesa de camping montada com prato de carreteiro, panela e uma coca cola. Diego sorridente com o prato e o camp ao fundo.
    Leve comida e não dependa dos restaurantes caros. Esse rango ficou uma delícia.
  • Binóculo – na Namíbia a gente não levou, mas faz toda a diferença. Leve, em alguns momentos você vai querer descobrir se aquilo lá longe é uma pedra ou um leão.
  • Repelente – principalmente se você for no verão, época de chuvas. O risco de malária é real e você não deve arriscar.
  • Camisa de manga longa ou pano para proteger do sol – horas torrando dentro do carro (no inverno) nos mostraram que é uma boa ideia. Camisa de manga longa ainda te protege dos mosquitos.
  • Adaptador e T (benjamin) – As tomadas na África do Sul são bem diferentes das nossas e não dá pra focar sem bateria na câmera nessas horas. Geralmente o adaptador e vendido nos mercados. Não lembro de ter visto dentro do parque. Garanta o seu antes.
  • Paciência e Coragem – fazer um safari é exercitar a sua paciência. Você terá que dirigir devargar para não espantar os animais e também para não passar direto por eles sem enxergar. Os danadinhos se escondem. A coragem também é fundamental. Você vai ouvir barulhos estranhos durante a noite e os bichinhos vão correr em cima da sua barraca. Prepare-se também para os insetos. Você vai dar de cara com eles a todo momento e nem sempre serão agradáveis. Mas lembre-se você está lá para curtir a vida selvagem e eles fazem parte disso.

    Bush baby com um inseto na mão e olhos brilhantes
    Esse pequeno terrorista nos acordou várias vezes durante a noite. Ficava correndo na nossa barraca.

E aí, tá com vontade de comprar a passagem já? Se tiver alguma dúvida deixa aqui nos comentários que a gente vai fazer de tudo pra te ajudar.

Nós, dentro do carro, com as zebras ao fundo no parque Kruger.
Selfies com animais só são legais assim, não interferindo (tanto) no habitat deles.

Informações Práticas

Kruger National Park

O que é: um dos parques mais espetaculares para observação da vida selvagem. Se tiver sorte, você vai encontrar os big five aqui.
Ingressos: é melhor comprar online para não correr o risco de chegar lá e bater com a cara no portão.
Quanto custa: R331 por adulto e R166 por criança. Isso equivale a aproximadamente R$ 94 e R$ 47 respectivamente. Você terá que pagar esse valor por dia. (abril/2018)
Horário de funcionamento: Depende da época do ano. Você pode verificar todos os horários aqui.
Como chegar: São muitas maneiras de chegar lá, pois há 9 portões espalhados por todo o parque. O mais fácil é jogar no google maps o portão que você quer e seguir as coordenadas. Nesse link tem a distância dos portões até os camps.
Quanto tempo dura o passeio: pode durar de um dia até o infinito. Nós ficamos 4 dias e achamos pouco, mas isso é muito pessoal.
Mais Informações: No site SAN Parks 

Camps

Quanto custa: Existem os mais diversos preços para os camps no Kruger. Depende se você vai escolher acampar, ficar em uma tenda ou em um bangalô. Aqui você pode conferir todos os preços.
Como reservar: Também pelo site, clique aqui.
Se liga: as reservas são feitas pelo método 3D. Você vai colocar os dados do seu cartão de crédito e ele vai te direcionar para uma página do seu banco. Você terá que digitar a senha do cartão para finalizar. Eu achei bem estranho, mas com as reservas da Namíbia também foi assim. Pra se proteger você pode criar um cartão digital no seu banco para fazer as reservas. E tenha sempre o Antivírus atualizado.

 

Gostou desse post? Nos ajude compartilhando nas redes sociais e no Pinterest

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *