Cair na neve não é legal, mas o resgate é.

Quem leu o post sobre La Parva viu que eu estava só elogios para a estação devido a clínica que eles tem por lá. Então… Eu precisei dela. Foi a primeira vez que subi num snowboard. Não é a toa que contratamos as aulas, mas nada disso adiantou. Cheguei na estação animada para aprender. Parecia tão fácil. O Diego nem esperou nosso instrutor e já foi pra pista tentar umas descidas. Foi aí que eu percebi que o bicho ia pegar. Nas primeiras vezes nem ele estava conseguindo ficar em pé. Eu e a Marion não nos atrevemos a pisar na pista sem o instrutor.

Bom, no começo foi simples. Aprender a prender a bota no snowboard foi fácil. Depois disso nosso instrutor nos fez andar um pouco com apenas um pé preso. Também foi tranquilinho. Daí começou aquela parte de ponta do pé e calcanhar. Ai,ai,ai. Isso não ia dar certo. Nessa hora o Diego já tinha pegado a manha do negócio e já tava longe. Eu e a Marion ficamos revezando descidas quase arrancando a mão do instrutor tentando se segurar.

Mas, como eu queria aprender resolvi descer sozinha. Devo ter caído umas dez vezes até chegar ao fim da pista iniciante, mas consegui. Hora de pegar a esteira e descer de novo. Na segunda descida estava um pouco mais confiante. Caí uma vez, levantei e continuei. O problema é que aquele negócio começou a acelerar de um jeito e eu não sabia parar. Meu snowboard virou e comecei a descer quase de costas. Tentei pensar rápido ponta, calcanhar, ponta, calcanhar, ponta… escolhi calcanhar e caí o maior pacote de todos. Minha primeira reação foi colocar as mãos no chão. Porque?????? Fiquei estatelada no chão, tirei meu snowboard e ele quase saiu “correndo” sozinho montanha abaixo. Fiz que tava OK para o instrutor mas logo depois minhas mãos ficaram de um jeito que não conseguia mais fechá-las. É, tive que usar meu seguro viagem (importantíssimo). Achei que iam me levar para a clínica em um carro, ou até andando, mas eis que chega meu resgate. Um snowmobile. Caracaaaaa! Achei aquilo super legal e tiraram até foto. Foi até engraçado todas as criancinhas (bem mais profissas que eu) perguntando o que tinha acontecido. E lá fui eu pra clínica numa velocidade impressionante, achando tudo o máximo menos a dor é claro.

Voltinha de snow mobil

Por sorte não tive nenhuma fratura. Foram apenas luxações no punho direito e no cotovelo esquerdo. Acabei com a minha festa. Fiquei o resto do dia sentada na neve assistindo o Diego e a Marion se divertirem. Ainda bem que não foi nada grave, mas mesmo assim tive que pedir ajuda para os dois o resto da viagem.Braço machucado em La Parva

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *