Brasil | Um dia em Brasília

Você já teve que esperar muito tempo em algum lugar por causa da conexão do seu voo? Nós passamos por isso voltando de Orlando. Chegamos às 9h em Brasília e nosso voo para Curitiba era só às 20h. O que fazer? Aproveitar para conhecer a cidade, claro!

Não fizemos muito roteiro. Apenas alugamos um carro e saímos buscando os pontos turísticos da cidade. E por falar em carro quando chegamos até a locadora não conseguíamos parar de rir. O carro era um UNO!!! Nada contra ele mas foi super engraçado devido a um vídeo que estava bombando no You Tube na época (clique aqui e descubra qual é). Pro meu azar fui zoada o dia todo por causa disso, mas foi engraçado. Fazia uns 35 graus em Brasília, sem vento nenhum, e o ar condicionado do carro parecia de brinquedo, não chegava nem a refrescar lá dentro.

A Bruninha e o UNO
A Bruninha e o UNO

Nossa primeira parada foi na torre de TV. Ainda bem que o trajeto do elevador foi curto pois o calor já estava terrível e lá dentro era ainda pior. Lá de cima é possível ver toda a cidade, com suas largas avenidas (Eixo Monumental) e o Congresso Nacional ao fundo.

Vista de cima da torre de TV
Vista de cima da torre de TV

Depois disso fomos para o Memorial JK e começamos o tour pelas obras do arquiteto Oscar Niemeyer. Brasília é uma cidade projetada, construída a pedido do presidente Juscelino Kubitschek. Niemeyer ficou encarregado do projeto dos edifícios públicos enquanto Lucio Costa tratou do plano da cidade. Planejada ou não o fato é que a cidade é super dependente de veículos, então passear a pé é um pouco complicado. Sendo assim pegamos nosso UNO e fomos até a Catedral. Futurista não?? Ainda mais quando se juntam em um mesmo plano a Catedral, o museu Honestino Guimarães e a torre dos sinos. Doidera total. Uma curiosidade da Catedral é que você pode sussurar em um canto de suas paredes e uma pessoa do outro lado conseguirá escutar. O mesmo acontece na galeria do sussuro, Central Station, Nova Iorque. Outro ponto interessante são os vitrais. Só entrando pra ver como são bonitos.

Entrada do Memorial JK
Entrada do Memorial JK
Vá dizer que esse cenário não é meio surreal???
Vá dizer que esse cenário não é meio surreal???
Os vitrais são bonitos, mas o que mais chama a atenção são os sussurros ouvidos por alguém do outro lado
Os vitrais são bonitos, mas o que mais chama a atenção são os sussurros ouvidos por alguém do outro lado

Seguindo no Eixo Monumental paramos pra observar o Congresso Nacional. Aquelas cúpulas, que mais parecem pratos, não estão lá por acaso. A côncava, para baixo, fica em cima do Senado e representa a reflexão, ponderação, equilíbrio e peso da experiência. Já a convexa, para cima, fica na Câmara dos Deputados e seu vértice está aberto a ideias e ideologias do povo. Ahammmm!! A gente finge que acredita.

Ouvir as idéias do povo?? #sóquenão
Ouvir as idéias do povo?? #sóquenão

Logo atrás do Congresso fica a Praça dos três poderes. Mais cenas malucas de Niemeyer, mas nem por isso deixam de ser bonitas. O que chama a atenção ali é o Pombal, que ao meu ver parece mais um grampo de roupas e o Panteão da Pátria e da Liberdade que deveria representar uma pomba, mas eu nem consigo explicar o que eu entendo dele. É nessa praça que fica também o Palácio do Planalto.

Achou o "grampo de roupa" e apomba??
Achou o “grampo de roupa” e a pomba??

Depois disso fomos até o Palácio da Alvorada pra dar uma olhadinha na casa singela da presidente. Demos algumas voltas pra chegar lá porque o gps estava meio descalibrado, mas no fim deu certo. Chegamos, olhamos e fomos embora porque não tinha muito o que fazer ali.

Palácio da Alvorada, casa dos nossos presidentes
Palácio da Alvorada, casa dos nossos presidentes
Aqui a troca da guarda deve ser mais fácil. Esse era o único que tava lá
Aqui a troca da guarda deve ser mais fácil. Esse era o único que tava lá

A essa hora já estavamos morrendo de fome e decidimos procurar um shopping pra comer alguma coisa. Outra tarefa difícil. Conseguimos achar apenas um e não era muito grande, mas pelo menos tinha comida. Cansados e morrendo de calor decidimos voltar para o aeroporto (até porque nossas malas estavam em armários e ficamos com medo que alguém mexesse). Sem muito o que fazer, sentamos na praça de alimentação e esperamos o voo tomando um chopp pra espantar o calorão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *