Berlim | A chegada

A primeira coisa que a gente pensa quando se fala em Berlim é inevitavelmente o muro, mas a gente queria conhecer mais do que isso. Nosso interesse era ver como uma cidade que ficou tão marcada pela guerra se recuperou, ou não, de tudo isso.
Chegamos a Berlim pelo aeroporto Schoenefeld, que é bem afastado da cidade, onde param o voos de companhias Low Cost, era quase 10 da noite, o lugar estava vazio e a gente precisava comprar um bilhete de trem para chegar até a cidade. Foram momentos de tensão pois não tinha guichê de atendimento. Tivemos que comprar o bilhete na máquina e o segurança “muito simpático” do lugar não nos deu informações corretas de onde pegar o trem, só apontou para o final do corredor. Bom, se você chegar em Schoenefeld saiba que o ticket que você deve comprar é o Regeltarif ABC e que a plataforma que leva a Berlim é a última, do lado contrário ao aeroporto. Para garantir, olhe os painéis com os horários. Mesmo que você não saiba nada de alemão, como é o nosso caso, vai encontrar o nome Berlim ou a estação que você precisa. Bom, nós ficamos aguardando ali com mais duas asiáticas perdidas por mais ou menos vinte minutos até que nosso trem chegou. Embarcamos, mesmo sem muita convicção, e rezamos para ser o lado certo. Somos mestres em pegar metrô pro lado errado. Depois de mais ou menos uns 20 minutos passando por campos abertos e bairros retirados, avistei a torre de tv e fiquei mais calma, estávamos indo pro lugar certo.
Desembarcamos na estação Friedrichstrabe quase 11 da noite e resolvemos ir até o hostel a pé. A distância era de apenas um quilômetro. Deu uma certa insegurança quanto a possibilidade de sermos assaltados, mas pensando bem, quem iria querer roubar mochileiros? Só se fosse pela mochila, porque dinheiro… A caminhada foi muito tranquila, sem nenhuma ameaça. Chegamos ao hostel, Generator Berlim, fazer o check in e deixar as malas. Esse foi o primeiro hostel da nossa vida e tivemos muita sorte pois o lugar é muito bom. Nosso quarto era para quatro pessoas e tinha banheiro e chuveiro no quarto.

Depois de tudo resolvido por ali, saímos em busca de algo pra comer e acabamos em uma barraquinha de cachorro quente, mas com a salsicha alemã, de um senhor que não falava inglês. Conseguimos nos virar. E nossa primeira refeição foi na rua, com vista para a torre de tv toda iluminada.  Na nossa frente um prédio abandonado cheio de pichações e buracos nas paredes. Será que esse prédio estava aqui durante a guerra? Esse foi um pensamento que nos acompanhou por toda nossa estadia em Berlim.Estação de Trem

Se estiver meio perdido na estação de trem do aeroporto de Schoenefeld verifiquem os horários em tabelas como essa. O trem que nos pegamos foi o Airport Express e chegamos em Berlim sãos e salvos
Se estiver meio perdido na estação de trem do aeroporto de Schoenefeld verifiquem os horários em tabelas como essa. O trem que nos pegamos foi o Airport Express e chegamos em Berlim sãos e salvos

Generator Berlin

Nosso quarto no primeiro hostel da nossa vida. Aprovado!!!
Nosso quarto no primeiro hostel da nossa vida. Aprovado!!!
Comendo um cachorro quente com uma vista privilegiada da torre de TV. Desculpem a qualidade da foto.
Comendo um cachorro quente com uma vista privilegiada da torre de TV. A qualidade da foto está tosca, mas o que importa é a intenção.

 

E você, já foi pra Berlim? Conta pra gente o que achou da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *