Atacama | Lagunas Cejar e Tebinquinche

Fazer mais de um passeio por dia no deserto não é das tarefas mais fáceis. Uma porque os passeios são longos e cansativos e outra porque é difícil “casar” os horários. Nós não tivemos muita escolha. Ou fazíamos dois passeios em um dia ou teríamos que desistir de algum deles. Desistir jamais, então fomos aos Geisers pela manhã e a tarde emendamos com as lagunas Cejar e Tebinquinche. Chegamos dos Geisers por volta do meio-dia, almoçamos, cochilamos (porque ninguém é de ferro) e ás 16h já estávamos prontos pra próxima parada: Laguna Cejar.

O ponto alto desse passeio é entrar na água já que a concentração de sal  é tão grande que você não afunda, assim como no mar-morto. Nós não experimentamos a sensação de flutuar na água  e ficamos apenas observando os aventureiros entrarem naquela laguna salgada e gelada. Quem quiser entrar na laguna Cejar pode ficar tranquilo que há chuveiros para tirar o sal do corpo depois.

Flutuação na laguna
Galera boiando na Laguna Cejar

Já que não entramos na água tivemos um tempinho para caminhar pelo lugar. E que lugar bonito! Enquanto o pessoal se banhava na laguna Cejar uma outra laguna ao lado estava simplesmente vazia. Isso fez dela um perfeito espelho que refletia o vulcão Licancabur ao fundo. Simplesmente fantástico! Ficamos alguns minutos admirando a beleza daquela água intacta. E ainda tinha gente que perguntava o que a gente ia fazer no deserto. Outra coisa curiosa é que mesmo estando a alguns metros (uns 100 metros) das outras pessoas o silêncio é total. Não se escuta conversas, nem carros, nada. Ficamos por ali uns trinta minutos até partir para os Ojos del Salar.

Água refletindo os vulcões
Espelho d’água na laguna Cejar com vulcão Licancabur ao fundo
Vegetação no deserto
Arredores da Laguna Cejar

Ojos del Salar são dois “buracos” enormes no meio do nada com água “doce” (ou menos salgada). Ninguém sabe ao certo como se formaram. Alguns especulam que teriam surgido após a queda de dois meteoritos, vai saber? Muitos aproveitam para se jogar nas águas geladas para dar mais uma lavada no sal “adquirido” na laguna Cejar. Mais uma vez ficamos só na observação e foi engraçado ver a reação das pessoas depois de pular. Pelo jeito a água estava mesmo muiiiito gelada.

Espelho d'água
Sendo refletidos nos Ojos del Salar
Corajoso pulando nas águas geladas dos Ojos del Salar
Corajoso pulando nas águas geladas dos Ojos del Salar
Ion pulando no deserto
É nessas horas que você se dá conta que está no deserto. Meio do NADA

Para fechar o dia de paisagens magníficas fomos até a laguna Tebinquinche. Esse passeio é deixado por último pois o pôr do sol faz mágica com a paisagem. Essa laguna é super rasa, deve ter de 3 a 5 cm de água. O reflexo dos vulcões ao fundo fica perfeitamente nítido. Com o sol baixando a vegetação rasteira fica dourada, o que deixa a paisagem ainda mais impressionante.

Laguna Tebinquinche com profundidade de aproximadamente 5cm.
Laguna Tebinquinche com profundidade de aproximadamente 5cm.
Lua surgindo
Lua aparecendo na Laguna Tebinquinche
Por do sol na Laguna Tebinquinche
Tons alaranjados na Laguna Tebinquinche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *